Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

29 outubro, 2008

Londrina continua surpreendendo: TSE cassa candidatura do prefeito eleito

Em julho, diante da previsibilidade do plebiscito em Goiânia, dei a dica das eleições de Londrina, onde o ex-prefeito cassado Antonio Belinati era candidato `a reeleição ( Para sacudir o marasmo, enquanto esperamos o plebiscito).

Em agosto, diante da falta de fatos graves em Goiânia, contei dos vereadores e ex-vereadores indiciados pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), acusados de terem cobrado propina para aprovarem lei liberando a construção de um motel em área proibida( Para sacudir o marasmo, enquanto esperamos o plebiscito II - blasfêmia).

Agora, passado o segundo turno, com a vitória de Belinati, o TSE impugnou sua candidatura.

Do candidato derrotado no domingo, deputado Luiz Carlos Hauly, comentando a notícia:

Em entrevista à rádio Paiquerê, ele afirmou que não esperava que a decisão fosse revertida e fez duras críticas à Justiça: "O Judiciário deveria ter mais respeito com o povo. Ele ganhou nas urnas e eu já havia aceitado o resultado".

No domingo, após o resultado, Hauly já condenava qualquer julgamento posterior às eleições. "TSE (seria) irresponsável por apresentar qualquer decisão agora", falou à época.

De participantes de manifestação pró-Belinati que reuniu cerca de mil pessoas, segundo o portal Bonde;

"Ele foi eleito pelo povo, isso não é certo?", questionou o pedreiro Carlos Flausino da Silva (48). "Cinco votaram lá (em Brasília), contra 140 mil aqui. É uma sacanagem essa decisão", criticou o vendedor ambulante, Vandersi Alves (40). "Isso é uma injustiça. Essa decisão é uma sujeira", entoou o coro o soldador Joaquim Sandi (49).

"A sensação é que a coisa vai pegar fogo. Se não fazer valer o voto do povo, pode acontecer quebra-quebra", disse temeroso o advogado Vilson Silveira, 53, que assistia a manifestação. Tal opinião foi acompanhada pela professora aposentada Olinda Ramos, 58: "Está sendo provocada uma guerra entre classes sociais."

Leia a matéria principal no portal Bonde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário