Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

10 março, 2009

Niemeyer - O epílogo da novela, no Magazine

Logo após a cobertura das irregularidades no edital dos Pontos de Cultura da Prefeitura de Goiânia, em janeiro, o Magazine publicou uma outra reportagem histórica.

Em 7 de fevereiro, o caderno esgotou o assunto Centro Cultural Oscar Niemeyer, obra milionária inaugurada em 2006 e até hoje sem funcionamento regular. O tema já fora explorado em reportagens anteriores do caderno ( e aqui no blog também: clique no marcador respectivo no canto direito da página para acessar os artigos). Desta vez, no entanto, a reportagem, como no caso dos Pontos de Cultura, não limitou-se a ouvir a versão da autoridade responsável. Com isso, conseguiu jogar luz nos aspectos controversos que vinham sendo repisados ao longo dos últimos dois anos: o valor da obra e a sua qualidade.

A reportagem tinha três matérias. Na primeira delas, Novela sem fim , era feito um histórico da obra, com as alterações de local e de valor , o encurtamento do prazo de execução de 24 para 12 meses, o seu não-funcionamento regular e a existência de saldo remanescente a ser pago à construtora que executou a obra.

Ouvido, o diretor de obras civis da AGETOP ( que foi o responsável pela obra), afirmou de que sua conclusão se daria nos próximos 90 dias. Ouvido também, o Secretário da Fazenda negou isso. Ao contrário, afirmou que nada será feito enquanto o TCE não se posicionar a respeito da obra.

O Secretário da Fazenda ainda acrescentou que o próprio Niemeyer ainda não recebera pelo projeto da obra, informação confirmada por João Niemeyer, seu sobrinho, que auxiliara no projeto e já desistira de tentar receber o valor restante, cerca de metade do contratado. Niemeyer acrescentou ainda que o contrato que propusera para acompanhamento e fiscalização da obra fora recusado, que ela fora "mal executada, feita a toque de caixa com pressa de inaugurar", resultando numa "coisa mal-feita". Avaliando o custo da obra, mesmo diante de especificidades que teriam que ser avaliadas, julgava "caro".

Além da avaliação pendente no TCE, a matéria mencionava a existência de inquérito em andamento no Ministério Público Estadual, inconcluso até então.

(clique sobre o botão mais à direita na parte superior para ver a imagem em tela cheia)
Niemeyer-Novela Sem Fim1


Na segunda matéria, Professores criticam mudança de local, os professores Everaldo Pastore e Dirceu Trindade faziam uma série de restrições técnicas ao planejamento e execução da obra. Para o aumento no custo, era aventada a hipótese da licitação ter sido feita sem os devidos projetos executivos e complementares concluídos.


(clique sobre o botão mais à direita na parte superior para ver a imagem em tela cheia)


Niemeyer-Novela Sem Fim2


Na última matéria, Sem acesso ao centro cultural e aos livros da futura biblioteca , era revelado que cerca de 40.000 livros já adquiridos para o acervo da futura biblioteca encontram-se guardados no Museu de Arte Contemporânea. Este já deveria ter-se transferido para o novo prédio e cedido sua sede atual para a Bblioteca Pio Vargas. Por duas vezes o gerente da Agepel responsável pela obra marcou visitas da reportagem ao local, ambas desmarcadas. A reportagem também não conseguiu ter acesso aos livros. No entanto, o Diretor de Ação Cultural da Agepel informou que a Agência irá discutir a ocupação dos Centros Culturais que administra com o segmento artístico. Com a ressalva de que, no caso do Nimeyer, isso só acontecerá após a decisão do TCE e a consequente definição do governo sobre a obra.

(clique sobre o botão mais à direita na parte superior para ver a imagem em tela cheia)

Niemeyer-Novela Sem Fim3

O ineditismo e o valor da reportagem se comprovaram com a reação a ela. Pela primeira vez, nestes dois anos desde a inauguração, Carlos Rosemberg , presidente da AGETOP à época da obra, se manifestou. No dia 12 de fevereiro o Magazine publicou matéria com sua constestação aos dados apresentados na reportagem do dia 7. Segundo ele, o acompanhamento da obra fora feito pela própria AGETOP e pela Faculdade de Engenharia da UFG. Não haveria irregularidade o aumento do custo da obra. O prazo para execução seria de "até" 24 meses, mas desde o início fora prevista sua entrega ainda no mandato do então governador.

Com essa reportagem única, o Magazine novamente fez jornalismo da melhor qualidade e publicou o epílogo desta novela. O capítulo final, está nas mãos do TCE e do MP.

(clique sobre o botão mais à direita na parte superior para ver a imagem em tela cheia)



Niemeyer-Novela Sem Fim3

Nenhum comentário:

Postar um comentário