Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

21 dezembro, 2008

Nasce um clássico

No último dia 8 houve um enorme constrangimento na Assembléia Legislativa quando o grupo Testemunha Ocular interpretou sua música Coronelismo , como mostra trecho da matéria do Diário da Manhã :

Na segunda-feira (8), a Assembléia Legislativa foi palco de uma saia justa que indignou deputados, arrancou risos e aplausos dos presentes e colocou Cláudio Roberto dos Santos no centro de uma polêmica difícil de ser digerida pelos parlamentares. Cláudio Roberto é Claudinho, 30, cantor de rap e um dos 18 homenageados da sessão especial promovida pelo deputado Mauro Rubem (PT) em comemoração aos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Presidente da União Bate Cabeça do Cerrado (UBC), que reúne músicos, dançarinos e produtores de hip hop e membro do Centro de Cidadania Negra de Goiás (Ceneg -GO), recebeu da Comissão dos Direitos Humanos a Medalha Pedro Ludovico por trabalhos de afirmação da cultura negra, combate ao racismo e violência social realizados em escolas e comunidades carentes.

O “agradecimento” veio em forma de versos, e foi neste instante que o mal-estar tomou conta do plenário Getulino Artiaga. De posse do microfone, embalados pela batida forte do hip hop, Claudinho, Mc Lethal e Mortão, integrantes do grupo Testemunha Ocular, deram ritmo à máxima de que todo político é “ladrão” e propagaram pelos quatro cantos do salão a impressão que têm da Casa: “Político rouba, político rouba/ dentre mil um roda. Os despolitizados viram massa de manobra/ estão tão acomodados que se viram com as sobras/ Sobra de ignorância, não tem para onde correr/ Existe um abismo entre o povo e o poder”. No dia seguinte, surgiu a proposta de cassar a medalha do rapper. “Achei a música de profundo mau gosto. Foi falta de educação, era uma sessão solene, ele cuspiu na medalha que recebeu. Ingratidão com todos que a concedemos. Sou a favor da cassação da medalha. O ideal, porém, é que ele tenha elegância e devolva”, defende o deputado Romilton Moraes (PMDB).


O vídeo com o registro do episódio foi disponibilizado no YouTube há quatro dias e já foi acessado 703 vezes. Tem tudo para virar um clássico (o áudio fica bom a partir de 2 min. e 30 s.):




(Ouça na página do grupo no Myspace)

A música já era conhecida: está na trilha sonora do vídeo que registrou a fraude em que consistiu a 3ª Conferência Municipal de Cultura, realizada em outubro de 2005, disponível no YouTube desde o primeiro aniversário da fraude, em outubro de 2006. Nas três versões, já foi assistido 2.300 vezes. Na última a qualidade do áudio é melhor.




A propósito, hoje começa a 6ª Conferência Municipal de Cultura. Dois anos e meio após a sentença de primeiro grau que anulou a 3ª e um ano após sua confirmação pelo Tribunal de Justiça, em 20 de novembro de 2007, sem que que essas decisões tenham tido qualquer efeito:

AcórdãoMSFetegduplograu


Aliás, como se chama mesmo um regime onde o Legislativo é totalmente subserviente ao Executivo e este não obedece às decisões do Judiciário?


Atualização em 22.12.08:

No blog Amigos dos Museus, notícias sobre a 6ª Conferência Municipal de Cultura de Goiânia ilustram o estado da cultura na cidade: nas inscrição, a "caixa onde estavam acondicionados os crachás era na verdade uma caixa de embalagem de 'cartuchos para armas portáteis'" ; e a reprodução da matéria do Diário da Manhã, registrando o protesto de várias entidades contra o formato adotado.


2 comentários:

  1. Achei o máximo a manifestação do grupo Testemunha Ocular.
    A arte não deve abrir mão de seu conteúdo contestador e subversivo por conta de homenagens, medalhas etc.
    O episódio me lembrou algo semelhante ocorrido com John Lennon, ao receber uma medalha (ou comenda) da Rainha da Inglaterra.
    A música não é nova e os deputados, se fossem mais bem informados, já a conheceriam e teriam refletido melhor ao aprovar a homenagem aos artistas.
    De minha parte, gosto do Testemunha Ocular e apoio integralmente sua atitude, pois através dela o grupo demonstrou coerência político-artística e uma grande, grande liberdade de espírito.
    Parabéns, Testemunha Ocular!

    ResponderExcluir
  2. hehehehe, Gilvane, Liberdade de espirito é ótimo, por que bobearem acabam processados e presos. Afinal não usam colarinho branco.
    Claudin é o meu herói!

    ResponderExcluir