Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

09 setembro, 2010

Eleições - Sem transparência - só vamos saber quem financiou depois

Segundo matéria de hoje, na Folha, o TSE , ao contrário do que tinha anunciado, não está fazendo monitoramento em tempo real das doações aos candidatos, para evitar irregularidades. 

Nem precisaria tanto: bastaria a gente poder ver quem está doando para quem.  Esta questão é analisada em artigo de Joaquim Falcão, também na Folha, que a certo momento diz:

No fundo, trabalha-se com a crença que existe correlação entre doar dinheiro ao candidato e vinculá-lo aos interesses de seu grupo ou de sua comunidade.
O político eleito não representaria o povo, mas seria capturado pelo doador. O que não é necessariamente verdade. Doar dinheiro e serviços é direito do eleitor. É participar do processo.

Se o candidato vai ficar ou não dependente, é questão do caráter de ambos: doador e candidato. Se esta dependência for longe demais e contrariar os interesses dos demais eleitores, o político pode não ser reeleito..  Ao contrário dele, acho que esta é uma informação essencial.

Pela minha experiência como captador de recursos para projetos culturais, durante quase uma década, acho que Falcão é muito otimista quanto às intenções dos doadores...

Não teremos nem como avaliar se existe alguma contradição entre a propaganda do candidato e os interesses de quem está pagando por ela, até para que ele possa explicar como isso não interferirá na sua atuação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário