Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

01 maio, 2008

Propaganda Zero 7 - Governo Estadual Gastou 76% menos com Propaganda em 2007

No dia 18 de março, o Tribunal de Contas do Estado de Goiás divulgou os dados referentes ao gasto total com propaganda pelo governo do estado, em 2007. Os dados confirmam as tendências apontadas nos textos anteriores desta série, relativos aos dois primeiros trimestres do ano.


O tamanho do tombo

O total gasto foi de R$ 26,4 milhões, correspondente a menos de um quarto (23,9% ) do que foi gasto em 2006 (R$ 110 milhões). Em relação à média de gasto anual no governo anterior (2003-06), de R$ 139,4 milhões, foram 19% . Mesmo em relação à primeira gestão do Tempo Novo (1999-2002), gastou-se em 2007 menos da metade (45,6 %) da média de gasto anual naquele período, que foi de R$ 57,88 milhões ( gráfico 1, tabela).


Origem dos Gastos


O gráfico 2 mostra a variação do gasto com propaganda desde 2003 nos 4 órgãos que concentram essas despesas (AGECOM, CELG, DETRAN e SANEAGO) e no restante (OUTROS), com crescimento até 2005, uma ligeira queda em 2006 e o tombo em 2007, em especial na AGECOM e na CELG, as maiores gastadoras.



No governo anterior (2003-06), a AGECOM fora responsável por 57% dos gastos com propaganda, vindo a seguir a CELG, com 22%; DETRAN, com 7%, a SANEAGO com 5% e o conjunto dos demais órgãos do executivo com 9% (gráfico 3).


Alteração na Proporção dos Gastos

Com a redução brutal nos gastos da AGECOM e CELG, essa proporção em 2007 mudou, com os outros órgãos aumentando sua participação proporcional: a CELG foi responsável por 24% dos gastos, ultrapassando a AGECOM, que ficou com 22%; o DETRAN e a SANEAGO ficaram com 17% cada e um novo foco de despesas detacou-se, o FUNPRODUZIR, que ficou com 10%, enquanto o conjunto dos demais órgãos gastou 14% do total (gráfico 4).


Além da queda nos gastos da AGECOM e CELG, o destaque foi a retomada dos gastos do DETRAN, que em 2006 tinham sido inexpressivos, contrariando seu posicionamento histórico entre os maiores gastadores. Os gastos no 1º trimestre de 2007 refletiam a situação daquele ano: os gastos estavam concentrados na AGECOM, na CELG e na SANEAGO (gráfico 5).



Detran reassume sua posição

Ao longo do ano, os gastos do DETRAN explodiram, saindo de praticamente zero no primeiro trimestre para R$ 2,8 milhões no 4º trimestre, num total de R$ 4,4 milhões no ano (3º lugar entre os órgãos com maior gasto) .

A SANEAGO dobrou seus gastos entre o primeiro e o quarto trimestres, gastando R$ 3,3 milhões no ano ( 4º lugar).

A CELG quadruplicou seus gastos no segundo trimestre, fez uma redução no terceiro para retomar o nível anterior no quarto trimestre, totalizando R$ 6,4 milhões no ano (1º lugar ).

Os gastos do FUNPRODUZIR se concentraram no terceiro trimestre (5º lugar).

A AGECOM chegou ao fim do ano gastando cerca da metade do que gastava no início. No ano foram de R$ 5,9 milhões (2º lugar).

O conjunto dos demais órgãos do Executivo dobrou seus gastos no terceiro trimestre, voltando ao valor inicial no 4º trimestre (gráfico 6, tabela).





Nenhum comentário:

Postar um comentário