Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

31 julho, 2006

Um ano no ar

Ontem este blog completou seu primeiro aniversário, com 1.251 acessos, o que dá por alto uma média de 100 acessos por mês, pouco mais de 3 por dia. Houve contudo um crescimento no número de acessos ao longo do tempo, e a média diária pode chegar a 8 acessos, dependendo da semana.
Os leitores habituais devem ter percebido que ampliei um pouco o enfoque, saindo da política cultural para abarcar seu desdobramento natural, a análise crítica de mídia, dentro de minhas limitadas possibilidades, uma vez que sem um jornalismo crítico, isento e investigativo, não há que se falar em política pública consistente, em qualquer área.
Fazendo uma avaliação da experiência até aqui, a primeira constatação é o quanto essa é uma tecnologia revolucionária, ao permitir dar publicidade a questões relevantes que nem sempre tinham espaço na imprensa. A segunda é o quanto é dispendioso manter um trabalho assim, especialmente no tempo necessário para levantamento e tratamento das informações. A série sobre a Conferência Municipal de Cultura, por exemplo, exigiu várias visitas ao fórum, dezenas de cópias de documentos e consultas a várias leis decretos. A das avestruzes, uma das mais lidas, embora feita toda a partir de pesquisas na internet, tomou um tempo enorme também, pois foi praticamente toda feita a partir de documentos originais em inglês e demandou pesquisa e consulta a vários sites.
Um aspecto interessante é a falta de comentários. Acho que não chegaram a dez, feitos por umas cinco pessoas. Um paradoxo, considerando que uma das características dos blogs é a possibilidade do leitor estar em contato com quem escreve.
Agradeço mais uma vez aos leitores que prestigiam o blog, e espero continuar a merecer sua atenção.

2 comentários:

  1. Marcus,
    Parabéns pelo aniversário do blog!Uma coisa já aprendi com Goiás. As pessoas preferem observar, na moita, torcendo até, mas sem se comprometer. Afinal, se opinarem podem acaber sendo mal vistos pelos coronéis locais.
    Por isso,nem se preocupa com a ausência de comentários, o silêncio fala mais que mil palavras.

    ResponderExcluir
  2. Registro aqui também os meus parabéns ao aniversário de seu "blogger", Marcus.

    Para não ter que repetir, apenas faço minhas as palavras ditas pela Deolinda em seu comentário.

    E comemorando a credibilidade desse espaço lhe pergunto: você tem informações sobre a "tahitian Noni International" que produz e distribui produtos que dizem ser feitos a base de um fruto do Taiti-o noni?

    Fui convidado por um colega aqui no Rio a participar de uma reunião para aliciar novos vendedores desse produto e estranhei duas coisas:

    1-O negócio cresce através do boca-a-boca baseado no vínculo afetivo, onde uma pesoa leva outra conhecida (como na Avestruz Master);

    2-Se é mesmo um "negócio da china" (ou melhor, do Taiti - sempre algo exótico, né? como avestruzes...) por que não vendem em hiper-mercados?

    O "site" deles é www.tahitiannoni.com.br

    Um grande abraço e vida longa ao "blogger".

    Charles Rodrigues.

    ResponderExcluir