Leia mais

Para ler o que foi publicado aqui (antes e/ou depois) sobre o assunto de um artigo , clique num dos marcadores ao final dele. Veja ao final desta tela, uma lista dos artigos mais populares.

05 abril, 2006

Bravo II

Além do salto na cobertura de política cultural pela imprensa (veja texto anterior), outro acontecimento do domingo passado merece destaque.

Os participantes do 10º Congresso da FETEG- Federação de Teatro de Goiás, realizado no Martim Cererê, antes de eleger a nova diretoria – reconduzindo Norval Berbari na presidência - aprovaram medidas que colocam a entidade na vanguarda, entre suas congêneres, na democratização tanto interna como na sua relação com a administração pública.

A primeira delas foi a resolução de continuar o questionamento judicial da III Conferência Municipal de Cultura, buscando todos os instrumentos jurídicos necessários para isso – aprovada por 90% dos presentes.

A outra medida, aprovada por unanimidade, foi a inclusão, em seu estatuto, de dois dispositivos: o primeiro, tornando obrigatória a convocação de assembléia dos filiados para a definição do posicionamento da entidade em relação a qualquer assunto, em especial projetos oriundos ou destinados à administração pública e a indicação de representantes junto a qualquer órgão ou instância deliberativa junto a esta; o segundo, determinando o comparecimento desses representantes a assembléias dos filiados para apresentar relatório de suas atividades.

O primeiro dos dispositivos aprovados fecha definitivamente o caminho para manobras da administração pública, que a pretexto de urgência exijam da entidade um posicionamento sem discussão prévia (como foi o caso da conferência), uma vez que a convocação dessas assembléias deve ser feita com uma antecedência mínima de oito dias. Já o segundo obriga os indicados para compor comissões ou colegiados a ter clareza dos critérios que aplicam em suas escolhas, já que terão que prestar contas delas a quem os indicou.

A democracia agradece e aplaude.
...........
Em tempo: os demais membros da nova diretoria são Cristhiane Lopes, Franco Pimentel, Eurípedes Santos, Fernanda Fernandes e Danilo Alencar. A todos, parabéns




2 comentários:

  1. Ficou muito legal o comentário, Marcus, muito mesmo...
    fui lá alguns dias achei que o Carlos Moreira fosse dar mais trabalho e na verdade quase deu, sendo que a chapa ganhou de 4 votos de diferença...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Gyannini. Acho que o teatro realmente vem num crescendo em termos de mobilização nos últimos anos. Os acontecimentos deste congresso só confirmam isso, e o resultado das eleições é secundário diante da mudança estatutária.

    ResponderExcluir